Prêmio

Marielle

Franco de

Prêmio

Marielle

Franco de

Direitos Humanos

Direitos Humanos

indicações encerradas 

premiação em 28|11 na
câmara legislativa do DF

Marielle Franco era mulher negra, mãe, cria da Maré, defensora dos Direitos Humanos, socióloga e mestra em Administração Pública. Em 2017, Marielle se tornou vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL e presidenta da Comissão da Mulher da Câmara Municipal. No dia 14|03|2018 foi assassinada em um atentado político. 13 Tiros atingiram o veículo em que estava, matando também o motorista Anderson Pedro Gomes. Quem mandou matá-la não imaginava, mas Marielle era semente. Milhões de Marielles brotaram em todo mundo já no dia seguinte. Vamos defender e espalhar a sua memória para que mais Marielles possam surgir e mudar a realidade em que vivemos.

O que é o prêmio?

O Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos é um reconhecimento público e oficial da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa do Distrito Federal pelo trabalho de defensoras e os defensores de direitos humanos em diversas áreas de atuação. A solenidade de entrega do prêmio será dia 28|11 na Câmara Legislativa do DF.

OBJETIVOS

Ao reconhecer publicamente trabalhos desenvolvidos no Distrito Federal, buscamos também incentivar que mais pessoas, organizações e servidores públicos se engajem na defesa dos direitos humanos. Para nós, também é importante proteger o/as ativistas que hoje assumem essa defesa como suas, uma vez há perseguição e ameaças por sua atuação.

Solenidade de premiação

A Comissão de Direitos Humanos da CLDF, seu presidente dep. Fábio Felix e convidado(a)s convidam todas e todos a participar da solenidade de entrega do 1º Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos. A entrada é livre e gratuita.

Dia 28|11, quinta-feira
Às 19h, no Plenário da CLDF

Resultado 2019

Organização da Sociedade Civil


Promotoras Legais Populares
Projeto de Extensão da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. Promove cursos anuais desde 2005 com o objetivo de capacitar mulheres, de todos os perfis, sobre direitos e cidadania, com enfoque nos direitos humanos, na educação popular e no enfrentamento à violência contra as mulheres. Site oficial | Instagram | Blog

Aconchego Grupo de Apoio à Convivência Comunitária e Familiar
Criado em 1997, a organização se destinou em seus primeiros anos à construção de espaços de troca de experiências entre pais adotivos, mediante a redes de afinidades. Atualmente, seu foco é para crianças e adolescentes abrigados, com a criação de projetos de auxílio a jovens com poucas chances de serem adotados. Site oficial

Instituto Afrolatinas
Criado em 2007 para dar vida ao Festival Latinidades, o Instituto hoje é uma plataforma internacional e de grande porte para o empoderamento de mulheres negras. Alguns de seus projetos são a Agência Afrolatina (Agência Internacional de comunicação liderada por pautas e mulheres negras), Festival Latinidades na Penitenciária feminina do DF, Latinidades Kids, entre outros. Site oficial

 

Ativista

 

Ravena do Carmo
Educadora popular, produtora e ativista cultural de Planaltina. Realiza um trabalho de oficinas e intervenções sociais nos mais variados ambientes – de escolas públicas a unidades de internação de adolescentes – a partir da leitura e escritura de poesias, da cultura HIP HOP, de desenhos etc; e eventos de cunho cultural, como a Convenção de Arte de Brasília e o Flash Day Solidário.

Marcão Aborígine
Líder cultural do DF e defensor dos Direitos Humanos, desenvolve trabalhos com internos do socioeducativo a partir de poesia, música, cinemas e debates. É um artista de Samambaia, criou diversos saraus pela região, cine debates, eventos e ajudou no desenvolvimento de outros articuladores culturais por meio do ARTSAM. Foi Conselheiro Tutelar na Cidade Estrutural.

Iariadney Alves da Silva (Iara)
Liderança da Casa Frida, coletivo de mulheres periféricas, é Articuladora do Movimento de Mulheres Negras do DF e do Fórum de Mulheres do DF e Entorno. Diretora Cultural da Associação Lésbica Coturno de Vênus, foi idealizadora e executora do LESBOSENSO – Mapeamento das lésbicas do distrito federal para construção de políticas públicas. Possui atuação no Conselho de Cultura do DF.

José Geraldo
Professor da Faculdade de Direito e ex-reitor da Universidade de Brasília, José Geraldo possui uma trajetória de defesa dos Direitos Humanos. É líder e um dos formuladores do Programa de Ensino, Pesquisa e Extensão “O Direito Achado na Rua”, cujo repertório em defesa dos direitos humanos é público e notório, sendo reconhecido internacionalmente pela sua produção no bojo da teoria crítica do direito.

Serviço Público

 

Projeto Força: substantivo Feminino
Desenvolvido pela Escola Classe 22 do Gama, o projeto atua na prevenção da violência contra a mulher. Iniciado a partir de um diagnóstico aplicado à comunidade. Foram realizadas leituras, interpretação e discussão de diversos gêneros textuais envolvendo conteúdos da área de Matemática, Geografia e História e escrita de textos autorais.   

 

Servidora Pública

 

Maria Aparecida Gussi (Professora Gussi)
Foi fundadora e atualmente é membro da coordenação do Observatório de Saúde Mental da UnB, realizando um trabalho de formação, fortalecimento da autonomia e participação ativa dos usuários  da saúde mental e seus familiares. Desde 1982 atua intensamente em diferentes movimentos sociais, como o Movimento Pró Saúde Mental. 

 

Trabalho Acadêmico

 

Comunidade cigana Calon em processo de escolarização: conflitos étnicos e saberes pluriculturais
A pesquisa, de Lenilda Perpétuo, foi fruto de uma investigação para trazer à tona a realidade em que vivem os Ciganos Calon em Sobradinho, DF. O estudo aborda seu percurso histórico-cultural, contribuindo para a análise e a compreensão das associações entre etnicidade cigana e a escola sistematizada. Disponível no repositório UnB

 

Conheça nossa Newsletter!

Inscreva-se para receber informações toda semana sobre o trabalho do mandato na Câmara Legislativa do DF.

Obrigado! Sua inscrição foi confirmada.