Na noite da última segunda o vendedor Weliton Luiz Maganha foi vítima do racismo institucional e da brutalidade policial em Planaltina. Como mais um dos milhares de brasileiros que dependem do auxílio emergencial para sobreviver durante a pandemia, Weliton saía do supermercado quando foi espancado de forma covarde por agentes da segurança pública que são pagos para proteger cidadãos como ele, como você que está lendo e como eu.

Não podemos esquecer que Weliton é um homem preto. E o debate racial que está em alta em todo o mundo passa pela denúncia e necessidade de colocar um fim ao imaginário racista que está impregnado em todas as esferas da segurança pública, que leva policiais a olharem para uma pessoa negra na rua e já concluir de imediato que tal pessoa representa um perigo para a sociedade.

Foto: Darcianne Diogo/Correio Braziliense

Estou acompanhando o caso como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Legislativa e encaminhamos um ofício à PM-DF pedindo uma investigação rigorosa sobre o caso.

É urgente debatermos a implementação de políticas que tornem as polícias mais cidadãs, que não trate as pessoas pretas desse país como potenciais inimigos. Temos que por um fim ao genocídio da população preta e pobre dessa país!

Confira a íntegra do ofício:

Caso-planaltina-violência-policial

Conheça nossa Newsletter!

Inscreva-se para receber informações toda semana sobre o trabalho do mandato na Câmara Legislativa do DF.

Obrigado! Sua inscrição foi confirmada.