Segundo levantamento feito pelo Datafolha no início deste mês, empresários se sentem mais seguros para sair para trabalhar durante a pandemia de coronavírus do que as assalariadas e assalariados. 26% daqueles que provavelmente tem mais recursos, não precisam pegar ônibus e metrôs lotados e contam com um plano de saúde parecem temer menos a disseminação da covid-19 e até mesmo uma eventual contaminação.

Fila no Conjunto Nacional. Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Obviamente sabemos que o vírus não faz diferenciações e contamina tanto ricos quanto pobres, mas é fato que a possibilidade de um diagnóstico e tratamento rápido traz uma maior sensação de segurança. Este dado parece reafirmar a ideia de que, quem tem dinheiro tem mais chances de sobrevivência.


O comércio reabriu na grande maioria das cidades brasileiras e quem está em mais ambientes de exposição e contaminação são trabalhadores e trabalhadoras assalariadas que precisam sair de suas casas, pegar o transporte público lotado e lidar com o público durante todo o dia. Aparentemente o isolamento social era só quando o risco parecia maior para as elites. Depois que o vírus começou a se espalhar majoritariamente entre a população mais pobre, a máquina de moer gente do Estado Brasileiro voltou para seu normal, onde a vida do pobre, preto e periférico parece valer menos.

Conheça nossa Newsletter!

Inscreva-se para receber informações toda semana sobre o trabalho do mandato na Câmara Legislativa do DF.

Obrigado! Sua inscrição foi confirmada.