Objetivo do encontro foi orientar sobre os próximo passos do processo para execução das emendas parlamentares e responder dúvidas e questionamentos

Na noite de ontem (17.02) o Gabinete 24 recebeu, no plenário da Câmara Legislativa, todos os responsáveis pelos projetos contemplados na área de educação do edital Realize. A iniciativa faz parte do nosso compromisso em democratizar o acesso às emendas parlamentares, inspirando e apoiando pessoas e instituições a investir nos seus sonhos coletivos.

Gabriel Elias, coordenador da Comissão de Direitos Humanos da CLDF e membro do Grupo de Trabalho responsável pelas emendas parlamentares, abriu o encontro falando da importância de uma educação livre. “Nós acreditamos em vocês. Em tempos de militarização das escolas, é fundamental investir na educação pública com liberdade para transformar a sociedade”. Danielle Sanchez, assistente social e da equipe do gabinete 24, aproveitou para lembrar dos casos em que as escolas militarizadas interferiram no corte de cabelo dos alunos, conduta que já foi considerada ilegal por decisão do Ministério Público Federal na Bahia. “Ao invés de trabalhar a autoestima e valorizar a cultura negra, estas escolas criaram um aparato de repressão”, afirmou.

Foto: Alexandre Bastos / Mandato Fábio Felix
Foto: Alexandre Bastos / Mandato Fábio Felix

Por fim, o deputado distrital Fábio Felix (PSOL/DF) ressaltou a importância da liberdade de cátedra. “A gente quer uma educação emancipatória. Que discuta gênero, diversidade, racismo, orientação sexual. A escola tem que debater de tudo, precisa ser um espaço seguro onde os professores e os jovens possam falar abertamente. Essa é a melhor vacina contra fake news, contra o machismo, a LGBTfobia e tantos outros problemas que enfrentamos. Só assim a gente constrói um mundo melhor”.

Casos de sucesso

Alguns projetos que já foram apoiados pelo mandato foram convidados para contarem suas experiências. Foi o caso do professor Alex Aragão, idealizador e responsável pelo Clube de Ciências do Centro de Ensino Médio 02 do Gama. Em uma de suas experiências, os estudantes tiveram sucesso em transformar a casca da laranja em uma película similar ao plástico. Como reconhecimento, a iniciativa foi selecionada para uma competição científica na Malásia, em outubro deste ano. “O incentivo à pesquisa tem sido transformador na escola. Não para de crescer o número de frentes de estudo em diversas áreas como robótica, agricultura, química”, relatou o professor. A pesquisa da casca da laranja durou quase um ano para ser viabilizada.

Conheça nossa Newsletter!

Inscreva-se para receber informações toda semana sobre o trabalho do mandato na Câmara Legislativa do DF.

Obrigado! Sua inscrição foi confirmada.