O Brasil é o país que mais mata LGBTQIA+ no mundo. Ano passado, foi uma morte a cada 32 horas, totalizando 273 mortes violentas, vítimas da LGBTfobia. Dessas mortes, 228 foram assassinatos e 30 foram suicídios.

Aqui no Distrito Federal, de acordo com a Polícia Civil, de janeiro de 2015 a novembro de 2020 houve uma média de 329 ocorrências de crimes contra a população LGBTQIA+, por ano. Entre o primeiro semestre de 2015 e o primeiro semestre de 2020, o número de casos aumentou 263%

Os números mostram que, apesar dos avanços e espaços conquistados nos últimos anos, ainda há muito o que construir em políticas públicas para assegurar o nosso direito de existir com segurança e dignidade.

Por isso, o Gabinete 24 e a Comissão de Direitos Humanos da CLDF elaboraram a “Cartilha de Utilidade Pública Para as Pessoas LGBT do Distrito Federal”, com o objetivo de disponibilizar informações para que as pessoas LGBTQIA+ da cidade saibam como se proteger da violação de direitos.

O documento traz contatos e endereços de órgãos públicos que atendem a nossa comunidade.

Faça o Download aqui

Cartilha_-Servicos-Especializados-LGBTQIA_Digital