O deputado Fábio Felix e a equipe do Gabinete 24 realizaram, na quarta-feira (15), o IV Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos, no Plenário da Câmara Legislativa. A premiação é um reconhecimento Público e Oficial da Comissão de Direitos Humanos pelo trabalho de defensoras e defensores de direitos humanos do DF em diversas áreas de atuação.

“Ao reconhecer publicamente tais iniciativas, a gente busca incentivar que mais pessoas, organizações e servidores públicos se engajem na defesa dos direitos humanos na capital federal”, enfatizou Fábio.

“Marielle franco era uma mulher negra, mãe, bissexual, cria da maré, defensora dos direitos humanos, em 2017 foi eleita vereadora do rio de janeiro. No dia 14 de março de 2018, ela e seu motorista Anderson foram assassinados com 13 tiros. Quem mandou matá-la não imaginava, mas Marielle era semente para milhões de Marielles brotarem em todo o mundo”, disse o parlamentar, que cobrou justiça para Marielle e Anderson.

A solenidade homenageou Anielle Franco, irmã de Marielle e Ministra da Igualdade Racial, que não pode comparecer mas enviou representantes do Ministério para receberem o prêmio por ela. A outra homenageada da noite foi Mônica Benício, viúva de Marielle, criada na favela da Maré, vereadora e líder da bancada do PSOL na Assembleia do Rio de Janeiro.

“A minha tarefa é construir uma política que produza espaços diversos como esse. Por isso, eu sou muito honrada em ser sua aliada na luta e estar aqui ao seu lado, Fábio. Muito se fala em sementes de Marielles, elas nada mais são que a ocupação de um Plenário tão diverso e tão popular neste momento. Eu encontrei um sentido e uma ressignificação pra vida que é a luta por direitos humanos, agradeço a todos que nestes cinco anos me mantiveram de pé”, disse Mônica em seu discurso de agradecimento.

Solenidade de entrega do IV Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos na CLDF (Foto: Alexandre A. Bastos/Mandato Fábio Felix)

Confira abaixo os premiados no IV Prêmio Marielle Franco de Direitos Humanos

CATEGORIA: ATIVISTAS DE DIREITOS HUMANOS

Juma Santos – Gestora das Tulipas do Cerrado, rede de redução de danos para profissionais do sexo do DF e Entorno, com objetivo de ajudar quem passa por várias violências e são ignoradas pelo estado.

Mãe Dora de Oyá – Mestra em saberes tradicionais, fundadora do Afoxé Ogum Pá- DF e coordenadora do Projeto ABC Social. É personalidade conhecida no DF pela defesa dos direitos humanos, do movimento negro e dos povos e comunidades tradicionais de matriz africana.

Meimei Bastos – Escritora, professora, produtora cultural, coordenadora do campeonato de poesia falada do DF e Entorno e do Slam Q’brada. Promove saraus, oficinas, debates, cineclubes e rodas de conversa, especialmente direcionados à população negra e periférica.

CATEGORIA: ARTE E CULTURA

Muralha Antifascista – Reunião de fanfarras e fanfarristas que tomou as ruas do DF para dizer basta ao governo genocida de Jair Bolsonaro e mobilizar política e artisticamente em defesa da democracia, da vida, da justiça e da liberdade.

Agrupação Teatral Amacaca – Orquestra de atores fundada a partir de um projeto de da UnB ministrado pelo saudoso Hugo Rodas. As obras são permeadas por debates políticos e um profundo compromisso com a democracia.

Vera Veronika – Pioneira na cultura hip hop do DF e Entorno,  31 anos de carreira como rapper e com trabalhos relevantes na área artística, cultural e social. Desenvolve trabalhos educacionais com projetos sociais em escolas e no sistema socioeducativo.

CATEGORIA: SERVIÇO PÚBLICO

Uama Paranoá – Executa a política de socioeducação de forma humanizada, desenvolvendo o protagonismo dos jovens negros e periféricos valorizando suas histórias, habilidades, trajetórias, e de suas famílias, com o esforço de eliminar o estigma envolto sobre esse segmento.

PIGL – Programa de Interrupção Gestacional que garante o acesso ao direito de interrupção da gestação nos casos de violência sexual. Realiza cuidado especializado e humanizado para meninas, mulheres e pessoas trans. O atendimento é feito por médicas, enfermeiras, psicólogas e assistentes sociais.

CATEGORIA: ORGANIZAÇÕES DA SOCIEDADE CIVIL

MNU-DF – O movimento negro unificado do df é a espinha dorsal da organização dos movimentos negros na capital e no centro-oeste. trabalha pelo combate ao racismo, atuando pelo empoderamento das comunidades negras e pressiona o estado pela implementação das mudanças normativas e estruturais que promovem as desigualdades.

Coletivo Filhas da Mãe – Acolhe e apoia cuidadoras de pessoas com demência, entre elas o Alzheimer. apostam na arte como espaço de cuidado em saúde mental e contribuem com iniciativas de conscientização, pesquisa e formulação de políticas públicas sobre o tema.

IAB-DF – O Instituto de Arquitetos do Brasil é uma organização da sociedade civil gerida por profissionais que atuam voluntariamente na luta pela preservação do patrimônio cultural, qualificação das obras públicas, pelo direito à cidade.

CATEGORIA: ACADEMIA

Marcos Vinicius Queiroz – Professor, pesquisador e militante. Com consistência trata da invenção dos direitos humanos a partir da revolução haitiana e da história do sertanejo no brasil. É um exemplo de intelectual público a serviço de um projeto de emancipação dos povos e do enfrentamento das formas de opressão.

CATEGORIA: EMPRESAS

Clínica Espaço Orí – clínica de psicologia de profissionais negras que decidiram se unir para fazer uma escuta humanizada, compreendendo como as estruturas excludentes da sociedade brasileira – o machismo, o racismo estrutural, a lgbtfqia+fobia e etc – influenciam a saúde mental.

Simbaz Culinária Afro e Bar – Restaurante de culinária afro pelas mãos do chefe Chidera Ifeanyi com o intuito de inserir no mercado gastronômico de Brasília um pouco da riqueza cultural e nutricional africana, é também espaço de promoção de cultura, educação e empoderamento econômico.

CATEGORIA: JORNALISMO

Laura Tizzo, Marina Cardozo, Natália Valarini, Pedro Valente, Ivanilson Almeida e toda a equipe de jornalismo da Globo Brasília pela reportagem “Por que defender direitos humanos é um dever de todos?” que apresentou em linguagem didática a necessidade de toda a sociedade engajar na defesa dos direitos humanos.

Confira o álbum de fotos:

IV Prêmio Marielle Franco (15/03/2023)