Fábio participa de reunião para traçar estratégias contra a PEC32

No evento, organizado pela Servir Brasil, foram traçados estratégias de mobilização contra a desvalorização do serviço público.

6 out 2021, 19:47 Tempo de leitura: 1 minuto, 56 segundos
Fábio participa de reunião para traçar estratégias contra a PEC32

O Deputado Distrital Fábio Felix (PSOL) esteve hoje (06.10) em um café da manhã com parlamentares contrários à PEC 32/2020, para tratar das estratégias de embate ao projeto no Congresso Nacional. O evento foi organizado pela Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil), em parceria com entidades do conselho curador. 

O anfitrião Lademir Gomes Rocha, presidente da Associação Nacional dos Advogados Públicos Federais (ANAFE), abriu o encontro destacando que a reunião tem o objetivo de traçar estratégias conjuntas para impedir o avanço da Reforma Administrativa no Plenário da Câmara dos Deputados. O ponto também foi salientado por Rudinei Marques, presidente da Fonacate. “Queremos alinhar estratégias para evitar o desmonte. O Estado brasileiro está sendo saqueado”, classifica. 

Fábio, que é presidente da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público e contra a Reforma Administrativa no DF, ressaltou que o fim dos concursos pode afetar diretamente a entrada de mulheres, negros e negras e LGBTs no serviço público. Confira no Instagram trecho de sua fala durante o evento. 

O presidente da Servir Brasil, Professor Israel Batista (PV-DF), lembrou a batalha da Frente desde o início dos debates da PEC 32 e a união que se formou entre frentes e entidades representativas dos servidores públicos. “Não há condições racionais que justifiquem esse texto apresentado pelo governo. O sétimo relatório é um terror. Piorou muito”, diz o parlamentar. Israel citou aspectos críticos do texto, como os vínculos precários, o desligamento pela avaliação de desempenho, os contratos temporários de 10 anos e a possibilidade de redução salarial. 

Nova ameaça 

Além da Reforma Administrativa, outro tema que fez parte do café da manhã foi a PEC 23, que estabelece os precatórios da União em 2022. O petista Bohn Gass (RS) comentou que os números “2” e “3” estão sendo usados nas PECs que atacam áreas essenciais para o País, como educação e saúde. “Nossa grande tarefa é evitar a PEC 32. Mas também temos que estar atentos à PEC 23, que é a PEC do calote, e ao Auxílio Brasil”, completa.

Com informações da Frente Parlamentar em Defesa do Serviço Público.