Carta aberta contra os ataques à reforma psiquiátrica e à política nacional de saúde mental

A carta conclama os coletivos antimanicomiais de todo o país a se unirem para impedir impedimento de qualquer retrocesso na configuração da ainda tão deficitária saúde mental da capital do Brasil

14 dez 2020, 15:19 Tempo de leitura: 0 minutos, 50 segundos
Carta aberta contra os ataques à reforma psiquiátrica e à política nacional de saúde mental

Profissionais e usuários da saúde no Distrito Federal divulgaram, para coleta de assinaturas, uma carta aberta à população contra os ataques à Reforma Psiquiátrica e à Política Nacional de Saúde Mental.

A carta conclama os coletivos antimanicomiais de todo o país a se unirem na proposta da 5ª Conferência Nacional de Saúde Mental, e informa que aguarda a posição da Secretaria de Saúde do DF sobre o assunto, “para garantir o impedimento de qualquer retrocesso na configuração da ainda tão deficitária saúde mental da capital do Brasil”.

Por fim, o documento exige que a Secretaria de Saúde assuma “formalmente o compromisso de ampliar a rede de atenção psicossocial local, inserindo no rol de seus equipamentos residências terapêuticas, centros de convivência e cultura, mais unidades de acolhimento e CAPS”.

Caso concorde com os termos dessa carta, assine aqui:

A seguir, a íntegra da carta:

CARTAABERTA_FRENTEDF

Caso concorde com os termos dessa carta, assine aqui: