Quando a defesa da educação é tachada de insubordinação

No melhor estilo Bolsonarista, governo Ibaneis deixa claro que não vai existir diálogo nem espaço para o contraditório em sua gestão.

30 jan 2019, 17:11 Tempo de leitura: 1 minuto, 19 segundos
Quando a defesa da educação é tachada de insubordinação

Exoneração do subsecretário de Educação Básica sinaliza perseguição nas escolas

No melhor estilo Bolsonarista, governo Ibaneis deixa claro que não vai existir diálogo nem espaço para o contraditório em sua gestão. O subsecretário de Educação Básica, Sérgio Elias Machado, teve sua exoneração publicada no DODF de hoje (30). O professor foi demitido da função por apresentar relatório contundente contra a militarização das escolas. O docente foi penalizado por cumprir aquilo que a sociedade espera dele: garantir que as Diretrizes e Bases da Educação Nacional sejam respeitadas, além de denunciar a ilegalidade da decisão autocrática do GDF.

Se o gestor, nomeado para formular políticas públicas, foi desligado por questionar uma decisão que viola a Gestão Democrática das escolas, o que professores, alunos e comunidade escolar podem esperar do governo Ibaneis? A demissão de Sérgio Elias abre precedente para a perseguição e para o desrespeito à liberdade dos professores e dos diretores!

Já acionamos o Ministério Público acerca da militarização das escolas e aguardamos tomada de providências por parte da Promotoria de Defesa da Educação. Agora, anuncio que colocaremos nosso mandato à disposição dos docentes que se sintam perseguidos no exercício de suas funções. O Gabinete 24 está de portas abertas para denúncias de violações à liberdade de cátedra no DF.

Brasília, 30 de janeiro de 2019
Fábio Felix, deputado Distrital e presidente da Comissão de Direitos Humanos da CLDF